sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

PALAVRA DE VIDA

 Para resgate de sua alma... (Mc 8,34-9, 1)
            Fomos sequestrados. Pior ainda: escravizados. Criado livre, o homem usou mal da liberdade e acabou escravo de sua concupiscência. Sem perceber a ironia da proposta do Tentador – “sereis como deuses, conhecedores do bem e do mal...” -, o primeiro casal viu-se decaído e degenerado.
            “Pelo pecado dos primeiros pais, o Diabo adquiriu certa dominação sobre o homem, embora este último permaneça livre. O pecado original acarreta a ‘servidão debaixo do poder daquele que tinha o império da morte, isto é, do Diabo’. Ignorar que o homem tem uma natureza lesada, inclinada ao mal, dá lugar a graves erros no campo da educação, da política, da ação social e dos costumes.” (“Catecismo”, 407) Por isso, São João escreve que “o mundo inteiro está sob o poder do Maligno” (1Jo 5,19). E Paulo, em guerra com suas tendências: “Sou carnal, vendido ao pecado. Não entendo, absolutamente, o que faço: pois não faço o que quero; faço o que aborreço. [...] Mas, então, não sou eu que o faço, mas o pecado que em mim habita.” (Rm 7,14-17.)
            Na luta pela liberdade, o escravo tenta “ganhar a vida”. preencher com as coisas do mundo (dinheiro, poder e prazer) o abissal vazio de seu interior. Por esses bens, os escravos se digladiam, fazem guerras. Tudo para “ganhar a vida”. Ambiciosos, odientos, não podem sequer contemplar a própria face. Assim, usam máscaras: mentem para si mesmos, tentando sufocar a voz incômoda que sobe de seu íntimo. Ganharão a vida? Ou irão perdê-la no final de tudo?
            Só Jesus aponta o caminho da libertação: a Cruz! “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. Porque quem quiser salvar sua vida, perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por causa de mim e do Evangelho, salvá-la-á. Que pode dar o homem para resgate da sua alma?”
            A liberdade perdida só se recupera como dom de Deus. Dom de amor sem limites. Foi a morte de Jesus que nos resgatou do poder do Inimigo. É seu sangue a moeda de nosso resgate. Não esqueçamos as palavras de Paulo aos Coríntios: “Não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus, e que, por isto mesmo, já não vos pertenceis? Porque fostes comprados por um alto preço.” (1Cor 6,19-20.)
            E o Apóstolo nos mostra o valor da liberdade cristã retomada no batismo: “É para que sejamos homens livres que Cristo nos libertou. Ficai firmes e não vos submetais outra vez ao jugo da escravidão.” (Gl 5,1.)
Orai sem cessar: “O Senhor é minha fortaleza e meu libertador!” (Sl 18,3)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário